24 janeiro 2017

Achados e Perdidos, de Stephen King

Quanto custa um segredo? Essa é a pergunta - indireta, claro - que Stephen King faz em "Achados e Perdidos" (original Finders Keepers, tradução de Regiane Winarski, págs. 352, 2016), o volume II da excelente trilogia Bill Hodges. O livro integra o catálogo da Suma de Letras, selo da editora Companhia das Letras, parceira do Dose Literária. 

Depois de acompanhar a odisseia de Mr. Mercedes, com direito a Complexo de Édipo, assassinato em massa e pessoas problemáticas tentando se reerguer, o leitor vai topar agora com um cara que faz TUDO, literalmente, pelo seu personagem literário favorito. Estamos no ano de 1978, na casa de um escritor misantropo. Rothstein é o nome do sujeito. Com ele, três homens mascarados e com pinta de assaltantes recém-inseridos no mercado sanguinário de trabalho. Depois de espancarem e desacordarem o homem, eles exigem saber onde está todo o dinheiro do cofre. Mas grana não era a preocupação de Morris Bellamy, o jovem e simpático bandido que também estava na casa do escritor. Na verdade, Bellamy estava irado pelos rumos que seu personagem favorito, Jimmy Gold, enveredou na continuação da série. De rebelde sem pátria, lei ou lar, Jimmy virou um engravatado de escritório, morando em uma casa de subúrbio (notem, nos EUA, subúrbio não é sinônimo de poucas posses; pelo contrário) ao lado de esposa e filhos.

Revoltado com esse final, Bellamy exige de Rothstein uma retratação. Então, acontecem discussões, chantagens, perda de cabeças e o final é previsível. Os três bandidos fogem da casa com o dinheiro do cofre e os cadernos escritos à mão pelo escritor. O fruto do roubo foi escondido dentro de um baú enterrado nos fundos de uma casa - especificamente, na floresta que servia de quintal -, até que três décadas se passam. Nesse meio tempo, um garoto preocupado chamado Peter vê a família desmoronar desde que o pai foi gravemente ferido no Massacre do City Center (olha aqui as garras do Mr. Mercedes aparecendo novamente). Por fruto do destino, o garoto encontra os cadernos e o dinheiro e, evidentemente, dá um fim justo para ambos.

O que o ingênuo Peter não contava é que nosso querido e belo leitor voraz Morris Bellamy sairia da prisão - sim, ele foi preso e outras coisas terríveis demais para comentar aqui, mas se tratando de Stephen King, você já pode começar a soltar a sua imaginação -, e quer, a todo custo, reaver o seu grande segredo.

Para se safar da enrascada, Peter aceita a ajuda da equipe da 'Achados e Perdidos', empresa que o detetive aposentado Bill Hodges mantém ao lado de Holly Gibney, a detonadora de cérebro de serial killer em Mr. Mercedes. E é aí que o trio Bill, Holly e Jerome se encontra de novo.

'Achados e Perdidos' puxa da nossa memória a agonia de Misery - Louca Obsessão. Se você leu o livro ou assistiu ao filme, já pode começar a puxar o fio da história sentimental de Morris Bellamy, um vilão de quem não se sente ódio, mas dó. É possível? Leia o segundo volume da trilogia Bill Hodges e descubra. E vá com confiança, sem medo de espiar.