05 agosto 2017

Os Sofrimentos do Jovem Werther, de Goethe

Esse mesmo romance foi citado muitas vezes aqui no Dose, confira as matérias aqui.

O romance se trata de um conjunto de cartas escritas por Werther a seu amigo e confidente Wilhelm (dependendo da edição, Guilherme). Werther passa a se corresponder quase que diariamente com o amigo ao mudar-se para uma pequena cidade para resolver negócios de família. No início do livro ele escreve sobre seu dia-a-dia, sobre pequenos causos e descobertas e seu encantamento com a vida pacata do local, tudo isso claro, antes de conhecer Carlota (ou Charlotte dependendo da edição). 

Carlota é uma jovem moça por quem o protagonista se apaixona loucamente a primeira vista, no entanto, ela está noiva o que o deixa desolado mas não o afasta dela, ao contrário, os dois se tornam amigos mas o amor que ele nutre por Carlota só aumenta.
Se no começo do livro as cartas de Werther são animadas e cheias de esperanças, após esse amor repentino o jovem se torna cada vez mais amargurado. No início paixão e logo logo Carlota se tornou uma obsessão para ele que até tenta se afastar dela mudando-se da cidade para trabalhar fora, mas acaba se desentendendo com seu chefe e ao voltar a cidadezinha Carlota já está casada e nosso jovem conhece Alberto, o esposo...

O incrível de tudo é que iniciamos a leitura achando que vai tratar-se de um trio amoroso mas o que lemos no desenrolar da história é sobre um amor totalmente unilateral já que Carlota nem sequer sabe das intenções de Werther inicialmente e Alberto ao invés de causar repúdio ao jovem, é uma figura de sua admiração o que torna toda história mais torturante para o rapaz. Que luta para esquecer a moça, porque admirada seu bom esposo e amigo mas ao mesmo tempo que tê-la para si.

O romance é trágico mas prefiro não entrar em detalhes demais para não quebrar o encanto da história, mas uma das coisas que mais me chamou a atenção foi saber que esse romance acabou sendo proibido na Europa depois de sua publicação por causa do furor que causou em muitos jovens que resolveram seguir os passos de Werther.

A releitura desse clássico foi tão agradável para mim como a primeira e mesmo eu tendo achado algumas partes levemente enfadonhas, não é um livro que eu tive vontade de abandonar como muitos clássicos que já caíram em minha mãos.